O médico Xamã

O médico oncologista Carl Simonton, foi o primeiro médico ortodoxo a utilizar uma técnica xamânica para tratamento de câncer, sendo mundialmente conhecido por isso. Durante muitos anos colegas da classe médica o desprezaram, chamando-o de charlatão. Atualmente seu sucesso no tratamento do câncer com métodos de visualização é tão grande que até os mais descrentes o reconhecem.

A base desse revolucionário tratamento, é que a atitude psicológica básica de um ser humano determina sua capacidade de resistência às doenças.

O fato de seu avô ter morrido de cancer um pouco antes do seu nascimento e do próprio Simonton ter sofrido um câncer de pele aos 16 anos, fez com que ele dedicasse sua vida ao tratamento do câncer. Especializou-se em radioterapia, pois achava o caminho mais curto para a cura.

Simonton notava em seus pacientes o desânimo e a falta de esperança que os atingiam. Foi quando buscou respostas na psicologia e na psiquiatria moderna, mas nada o satisfazia.

Anos mais tarde, encontrou, de forma inesperada com psicólogos industriais que aplicavam uma técnica de fazerem trabalhadores visualizarem o resultado final do trabalho, aumentando a produtividade e motivação.

Simonton passou a empregar essa técnica em seu trabalho com um paciente idoso, portador de cancer no aparelho digestivo e já desenganado pelos médicos. Explicou-lhe como devia relaxar, e de olhos fechados, imaginar que seu próprio corpo era forte, e que devia imaginar-se como uma pessoa totalmente curada. E o mais incrível, ele conseguiu salvar o homem: o câncer sumiu e a quimioterapia teve poucos efeitos colaterais.

Ele tinha encontrado inconscientemente, um método já existente há milhares de anos e aplicado por xamãs: a imaginação, a visualização. Quando descobriu isso, Simonton  decidiu dedicar a sua vida à introdução desse método de cura na medicina moderna.  Imagine o que ele não teve que engolir de agressões, ofensas, etc.

No período de 10 anos fez estudos profundos e verificou que os pacientes tratados por ele viviam, em geral, duas vezes mais que outros, tratados nos hospitais mais renomados, com métodos considerados eficazes. Os estudos de Simonton agora fazem parte da história da medicina.

Como muitos terapeutas e xamãs, Simonton é um curador ferido. Ele deixa seus pacientes à vontade, deixando eles mesmos decidirem se querem viver ou morrer . Se querem morrer ele utiliza processo de relaxamento, meditação e visualização para facilitar o processo de separação. Quando o paciente escolhe vida, os exercícios ajudam-no a sarar.

Diz Simonton : “O leigo se impressiona muito com o fato de que a imagem geralmente aceita a respeito da doença – que é o câncer – devorando vorazmente todo o corpo da vítima é totalmente errada. Células cancerígenas são tão frágeis que é quase impossível cultivá-las num tubo de ensaio. Se isso finalmente acontece e o cientista acrescenta no recipiente glóbulos brancos, nunca se vê as células cancerígenas atacarem os glóbulos brancos. Ao contrário, são os glóbulos brancos que iniciam imediatamente o ataque. O que quer dizer que um tumor maligno apenas consegue alastrar-se dentro do corpo humano sob condições muito específicas, e tais condições são criadas principalmente por emoções destrutivas, como raiva contida, medo e desesperança. E, como hoje cientistas especializados em psiconeuroimunologia sabem, esses estados psicológicos negativos atacam o sistema imunológico através de “mensageiros”.

Quando o paciente aprende a arrancar essas emoções de seu subterrâneo psicológico e lidar construtivamente com elas, o câncer não encontra mais substâncias que o alimentem e desaparece. Além disso, medo, raiva e desesperança são muitas vezes gerados por informações falsas. E quem descobre que as células cancerígenas são tolas e vulneráveis pode na hora, acabar com as emoções totalmente erradas cultivadas a respeito da doença.

Carl Simonton aconselha um método de autoquestionamento, que ajuda muito, atraindo forças autocurativas que conservam e fortalecem a saúde e também o cultivo das chamadas emoções neutras como tranquilidade e paz – que segundo ele são mais importantes até que as positivas como alegria, felicidade, etc. e são as mais negligenciadas e é fácil chegar nelas com quatro respirações profundas.

Veja o sistema de autoquestionament:

Para se descobrir se determinadas atitudes emocionais ou mentais são prejudiciais ou destrutivas, oferecendo um campo fértil para as células cancerígenas, o dr. Simonton pede aos seus pacientes que respondam as seguintes cinco perguntas :

  • Essa atitude está baseada em fatos?
  • Ela protege minha vida e minha saúde?
  • Ela me ajuda a evitar meus conflitos indesejáveis?
  • Ela ajuda a me sentir como eu gostaria?
  • Ela me ajuda a concretizar os meus planos, tanto aqueles realizáveis a curto como a longo prazo?

Essa lista de perguntas foi desenvolvida pelo psicólogo comportamental Maultsby. O paciente deve carregá-la consigo durante um bom tempo, até que ela se torne uma parte inseparável de seu pensamento. Se ele a respeito de determinado tema, consegue responder três vezes “sim” está indo bem. Mas, muitas vezes, nem consegue responder um único “sim” porque, segundo Simonton, quase todas as convicções culturais são insalubres – muitos de nós conhecem pessoas que, apenas confrontadas por uma doença perigosa, tiveram a coragem de transformar-se radicalmente e, como consequência, se tornaram tão felizes e equilibradas que se despediram com facilidade de sua doença ou vice –versa.

Quando, com ajuda das cinco perguntas, o paciente encontra uma atitude da qual quer se livrar (por exemplo: “Meu corpo nunca conseguirá vencer o câncer”), ele se pergunta como formular uma atitude nova e saudável. E começa a “trabalhar” com tal atitude, imaginando três vezes por dia, em estado total de relaxamento, como seu corpo está liquidando o câncer. Conforme as experiências do dr. Simonton mostram, as primeiras mudanças se anunciam de maneira incontestável em três ou quatro semanas de um trabalho consequente.

A terapia pela imagem é hoje usada em conjunto com outras terapias, como cirurgia, irradiação e drogas, para redução do estresse e mudanças de atitudes em diversas patologias como o câncer, doenças cardíacas, aids, artrite, etc. Pesquisas demonstram que a imagem afeta a fisiologia do corpo. Elas podem estimular o sistema imunológico que defende o organismo dos vírus e bactérias, até mesmo das células cancerígenas.

Ela pode baixar a pressão sanguínea e o ritmo dos batimentos cardíacos, o que é útil na prevenção da doença cardíaca, pode reduzir a dor e minimizar os efeitos colaterais de diversas drogas, inclusive a quimioterapia. Ela afeta profundamente a atitude, pode aumentar a sensação de confiança, controle e força e diminuir a desesperança, a depressão e o medo. Essas mudanças de atitude são capazes de estimular a cura.

A terapia pela imagem pode ajudar as pessoas a resolverem problemas existenciais e a fazer escolhas importantes, nos ajuda a amar a vida e o mundo que nos rodeia.

fonte – Revista Planeta n. 229

Já imaginou o que a EFT conjugada a visualização pode fazer num caso como estes???

Rafael Zen
Siga-me!

Rafael Zen

Somos seres essencialmente espirituais, vivendo uma experiência material. E nessa extraordinária jornada, tudo vale a pena ser vivido!...
Rafael Zen
Siga-me!

Últimos posts por Rafael Zen (exibir todos)

4 thoughts on “O médico Xamã

  1. Começei , a pouco tempo a eft e já tenho sentido , melhoras na minha ansiedade, vou fazer agora um mix , para conseguir mais sussesso em minha busca pela pleniude mental saudavel, obrigado informações como essas valem ouro.

Comente! Sua opinião é importante pra nós!