Qual é seu nível de sofrimento?

Sofrimento faz parte da vida, certo?

Pra maioria das pessoas, sim.

Para uns poucos, simplesmente não.

Eu costumo dizer sempre que a dor é obrigatória, mas o sofrimento é opcional.

É mais ou menos assim: você corta o dedo, e dói. Mas ninguém te obriga a sair gritando e contando essa “novidade” pela cidade. A maneira como encaramos as situações da vida é que farão o diferencial entre aquilo que é necessário, e a parte que é criada por pura inconsciência.

Por exemplo: se você vive numa metrópole, o trânsito faz parte do seu cotidiano e não há como escapar dele. Mas é você quem decide fazer destes momentos uma oportunidade de desenvolver sua paciência ou uma úlcera! Portanto, o resultado desta vivência depende apenas de seu grau de consciência e sabedoria – essa é a opção.

Reclamar do trânsito, das pessoas, e mais recentemente do nosso cenário político e econômico são apenas formas de aumentar seu pequeno e habitual sofrimento diário. Ele não precisa existir, mas algumas pessoas estão tão acostumadas a ele que sequer percebem o mal que ele faz…

Podemos então compreender que existem incontáveis níveis de sofrimento, e que não é necessário um trauma de guerra pra despertar o mal na pessoa: um simples computador travando é capaz de proporcionar o mesmo efeito (isso sem falar nos estudos que mostram que jogos de computador tem como efeito secundário a agressividade no mundo real).

Há uma parábola budista extraordinária sobre o tema.

Um Samurai grande e forte, de índole violenta, foi procurar um pequenino monge.
Monge – disse, numa voz acostumada à obediência imediata – Ensina-me sobre o céu e o inferno!

O monge miudinho olhou para o terrível guerreiro e respondeu com o mais absoluto desprezo:
Ensinar a você sobre o céu e o inferno? Eu não poderia ensinar-lhe coisa alguma. Você está imundo. Seu fedor é insuportável. A lâmina da sua espada está enferrujada. Você é uma vergonha, uma humilhação para a classe dos samurais. Suma da minha vista! Não consigo suportar sua presença execrável.

O samurai enfureceu-se. Estremecendo de ódio, o sangue subiu-lhe ao rosto e ele mal conseguiu balbuciar palavra alguma de tanta raiva. Empunhou a espada, ergueu-a sobre a cabeça e se preparou para decapitar o monge.
Isto é o inferno – disse o monge mansamente.

O samurai ficou pasmo. A compaixão e absoluta dedicação daquele pequeno homem, oferecendo a própria vida para ensinar-lhe sobre o inferno! O guerreiro foi lentamente abaixando a espada, cheio de gratidão, subitamente pacificado.
Isso é o céu – completou o monge, com serenidade.

Céu e Inferno, amor e ódio e suas infinitas variantes são escolhas, diferentes estados de Ser. Tanto um quanto outro são cultivados pelos pequenos hábitos diários. É como uma panela de pressão: a intensidade do fogo pode ser pequena, mas deixe o caldo ferver por algumas horas e verá o resultado. Este é o motivo pela falta de saúde generalizada que nossa humanidade enfrenta, apenas um reflexo da disfunção mental que vivemos…

Mas a grande questão é: quanto dele você ainda precisa até perceber que simplesmente não precisa dele?

 

Rafael Zen
Siga-me!

Rafael Zen

Somos seres essencialmente espirituais, vivendo uma experiência material. E nessa extraordinária jornada, tudo vale a pena ser vivido!...
Rafael Zen
Siga-me!

Últimos posts por Rafael Zen (exibir todos)

2 thoughts on “Qual é seu nível de sofrimento?

  1. PARABÉNS AO CASAL RAFAEL E VALERIA PELO BELÍSSIMO VIDEO! REALMENTE O SOFRIMENTO É CAUSADO PELOS VALORES QUE DAMOS AS COISAS ! GRATIDÃO

Comente! Sua opinião é importante pra nós!