Obesidade a Autoaceitação

A medicina trata a obesidade como um distúrbio glandular – mas a ciência tradicional é muito limitada no conhecimento global do ser humano: somos mais do que apenas química glandular! Nosso corpo é o reflexo de nossos pensamentos e emoções mais profundas.

Obesidade é forma inconsciente de proteção contra problemas externos, um casulo usado para esconder medos, aborrecimentos, perdas, raivas, mágoas e inseguranças. É o mecanismo de defesa que o inconsciente cria para proteger-se daquilo com que o consciente não sabe lidar. A gordura localizada, dependendo de que região está, tem um significado específico que muitas vezes os ditados populares revelam: “empurrar as coisas com a barriga”, “falta de jogo de cintura”, “não tem peito pra enfrentar a vida”…

A partir dos estudos da Ayurveda, linguagem do corpo e da prática diária, podemos traçar um perfil do gordinho.

A origem fundamental: o aspecto “mãe” (ying) em desequilíbrio. Toda obesidade começa na infância com carência materna, mesmo que este sentimento muitas vezes tenha sido causado por excesso – é, isso mesmo, tudo que é demais estraga também!

Valeria Zen

Valeria Zen

Sou fascinada pelo maior de todos os mistérios: o ser humano! Especialista em Desenvolvimento Humano e apoio emocional a gestante.
Valeria Zen

Últimos posts por Valeria Zen (exibir todos)

Comente! Sua opinião é importante pra nós!