O ego e a inconsciência

Pessoal, recebo muitas perguntas como essa: mas e o ego, onde fica nisso tudo?

Então vamos entender isso um pouco melhor. Pra começar, quando falo aqui em ego não estou me referindo aos termos da psicologia universitária, mas sim da psicologia energética e espiritualista. O ego a que me refiro aqui é a própria inconsciência humana.

Pra começar, embora a maioria das pessoas acredite que é consciente em todos os seus atos, estudos modernos já demonstram justamente o contrário: somos seres conscientes apenas 5% do tempo (e ainda por cima uma consciência relativamente adormecida), portanto os 95% restantes da nossa vida são realizados através de nossa inconsciência profunda (o ego).

Podemos vincular o consciente com nossa atenção, isto é, estamos conscientes quando estamos atentos ou focalizamos alguma coisa em especial. O consciente tem a função de organizar, julgar, decidir, discernir; ou seja, escolher o que será gravado.

O inconsciente, ao contrário, está condicionado a realizar apenas a repetição daquilo que armazena. Possui uma linguagem própria, muitas vezes fala através de metáforas, não faz diferença entre o real e o imaginário e está além do tempo. Isso que dizer que algo que você fez no passado influencia suas atitudes presentes, porque para o inconsciente 20 anos atrás é agora.

Mente inconsciente pode ser entendida também como programação: o usuário (a consciência) toma a decisão e instala o Windows no seu computador uma única vez; depois disso, cada vez que você liga o computador o sistema é iniciado automaticamente sem que a sua interferência seja necessária – é apenas um processo automático de repetição (a inconsciência). A base para a sua programação é a união de uma forte emoção a um pensamento qualquer, útil ou não.

Você já passou por muitas situações em que fez algo “sem pensar”, impulsiva ou irracionalmente ou não conseguiu controlar a situação? Este é o inconsciente em ação.

O inconsciente também é o responsável pelas motivações ocultas em nossas ações – e 95% de nossas ações tem esta motivação! Por exemplo: o que leva alguém a criticar outra pessoa? A resposta verbal em geral é “mostrar aos demais o erro do fulano” – mas se pudéssemos traduzir a motivação, veríamos algo do tipo “eu não sou como ele, sou melhor” – ou seja, vemos aqui uma vaidade camuflada de bondade. Pergunte-se num momento como esse: alguém está se beneficiando de minhas palavras? Como esta motivação é fruto da inconsciência, poucas pessoas se dão conta dela…

Você já imaginou qual é o fator que nos move a realizar algo em nossa vida – como, por exemplo, a profissão que você desenvolve hoje? Tudo se origina através de uma idéia (a mente consciente), que aos poucos toma forma até transformar-se num sentimento.

O sentimento é o mediador entre a mente e o corpo, e é ele quem verdadeiramente nos move para materializarmos nossas decisões e pensamentos. O sentimento é aquela sensação orgânica, visceral. Evitamos e postergamos algo que consideramos desagradável, mas não pensamos duas vezes para fazer algo prazeroso. Porque isso acontece? Porque o inconsciente é movimentado principalmente através das emoções!

Pra entender melhor vou dar um exemplo simples: todo fumante sabe que o vício faz mal. Observe o verso uma carteira de cigarros: aquelas imagens não são chocantes? E porque o vício permanece?

Porque estas imagens estão destinadas apenas a mente consciente da pessoa, esta fração da nossa mente que é visual – e nem sempre causam a “comoção” necessária para mudar um ato que é mais forte: repetitivo, prazeroso e que mata aos poucos – ou seja, inconsciente novamente.

Por este mesmo motivo, nos sabotamos em uma dieta, porque comer é muito mais prazeroso do que privar-se do que gostamos.

O ego também pode ser entendido com uma palavra simples: lembranças. Do passado, do futuro… Não estar presente no AGORA, de corpo e alma, é estar inconsciente porque significa que você está deixando sua vida passar neste instante bem diante dos seus olhos, mas prefere se lamentar por algo que não fez ou ficar com medo de algo por fazer…

Viver no ego é viver na escravidão da mídia, da sociedade, da religião. É fazer porque todo mundo faz, por habito ou costume. É não ter consciência da verdadeira motivação.

Tomando decisões baseadas no ego, deixamos de fazer coisas importantes por emotividade, e no fim nos perguntamos o que estamos fazendo de errado!

O ego pode ter vários nomes: raiva, medo, inveja, vaidade, gula, mágoa – as verdadeiras motivações pros nossos hábitos. Alguns autores chamam de emoções negativas, auto-sabotagem, agregado psicológico, corpo de dor: aquilo que, no fundo, traz o sofrimento.

Não existe felicidade na inconsciência porque ela é fruto do sofrimento.

Algumas coisas são sutis: academia muitas vezes é sinônimo de vaidade; mas descuidar do corpo pode ser falta de amor e autoestima…

Como então diferenciar uma atitude da outra? Sempre que possível, pare, respire, sinta seu coração e deixe que a resposta para suas dúvidas surja n´ele, de forma natural e espontânea. Até hoje o conhecimento egípcio considera o coração como a morada da consciência…

E olha que bacana: a glândula que controla o coração chama-se TIMO. Esta glândula, até recentemente uma desconhecida da ciência, é a responsável pela imunidade do corpo. Sabe quando você faz algo que parece que encheu seu peito? É o timo se dilatando – por isso não é impressão não, ele realmente fica cheio! Fazer as coisas com base no coração nos traz saúde e bem estar, sempre…

Siga-me!

Rafael Zen

Eu sou fascinado pelos mistérios e conexões entre o corpo, a mente e a consciência. E o que poderia existir de mais transformador do que o conhecimento de si mesmo?
Siga-me!

Últimos posts por Rafael Zen (exibir todos)

6 thoughts on “O ego e a inconsciência

  1. Ótimo post. Muita coisa útil e elevada.
    Só não saquei você dizer “O inconsciente, ao contrário, está condicionado…”.
    Condicionado pelo o quê, por quem, pra quê e porquê?
    Quem o condiciona? A existência humana ou existe na tua visão algo que os ‘intelectuais’ não sabem?
    O que dizer de um Ramana?, de um Aurobindo, um Trigeuirinho?, Huberto Rohden, Paul Brunton, etc; sobre este assunto?
    O que nos diz?

    1. Olá Gilmar!
      Inconsciente é sinônimo de condicionamento; ou seja: fazer porque outros fazem, fazer as mesmas coisas porque sempre foi assim, repetir sem saber exatamente porque. Ha um conto que ilustra isso: a mulher foi preparar um peixe, cortou a cabeça e a cauda. O marido pergunta: porque vc faz isso? Ela responde: porque minha mãe fazia. Foram até a mãe questionar, que respondeu: aprendi com sua avó. Então chegaram na avó que explicou: porque eu não tinha uma forma maior!
      Somos condicionados pelos pais, pela sociedade, pela religião e, nas ultimas décadas, pela mídia que tentar impor valores como forma de garantir suas vendas.
      Sobre os nomes que vc cita, poderíamos formular uma lista bastante extensa, porque eles perceberam tudo isso e conseguiram superar a si próprios, despertaram do adormecimento mundano e tornaram-se o que são: pessoas iluminadas!
      Um abraço pra vc e continue perguntando…

  2. Enfrentei muitas dificuldades desde sempre e me transformei numa pessoa totalmente inconciente, só pra dar uma ideia não tinha consciência nem da minha falta de saude física. Sempre me senti diferente das outras pessoas, esta com outras pessoas ainda hoje é quase uma tortura. Me indentifiquei muito com seu artigo. Acho que o que me falta mesmo está sendo achar o coração. Não tem uma dica pra ajudar a se achar, a ser uma pessoa mais consciente? Agradeço desde já.

    1. Olá Valdenisa,
      toda ferramenta que coloque vc em contato com seus proprios conflitos vai auxiliar a tornar-se mais consciente. Inicie baixando nosso manual de EFT, assistindo nossos videos no youtube e vc perceberá a mudança acontecer.
      Um abraço

  3. que artigo magnifico!!. gostei principalmente :
    (O ego também pode ser entendido com uma palavra simples: lembranças. Do passado, do futuro… Não estar presente no AGORA, de corpo e alma, é estar inconsciente porque significa que você está deixando sua vida passar neste instante bem diante dos seus olhos, mas prefere se lamentar por algo que não fez ou ficar com medo de algo por fazer… )
    É possível ficar 100% no agora, constantemente?

    1. Olá Carminha,
      Sim, é possível ficar 100% presente – mas isso exige esforço, constância, paciência e disciplina (nada que um verdadeiro buscador não esteja disposto a exercer!).
      Ficar no presente é a solução de nossos conflitos e sofrimentos, é a verdadeira fonte de felicidade e paz. Todos os Mestres espirituais nos apontaram nesta direção, mas nem sempre conseguimos entender sua mensagem.
      Sugiro pra vc começar aquele que atualmente tem uma linguagem simples e objetiva: O Poder do Agora, de Eckhart Tolle. Ainda existem excelentes vídeos dele no youtube – https://www.youtube.com/playlist?list=PLddqyYMYIg1o0uF5YE9uexS0-TD_0mS65
      Bom proveito!

Comente! Sua opinião é importante pra nós!