Crenças que matam e crenças que curam!

A biologia da crença

Outro dia estava lendo um post sobre o assunto, quando uma pergunta me chamou a atenção: “pessoal, não entendi, quando vocês falam de crença querem dizer religião né?!?” Pra mim soou engraçado na hora, mas a dúvida era sincera.

Então vamos começar: e você, sabe realmente o que é uma crença?

Existem incontáveis formas diferentes de definirmos esta palavra,  e possivelmente todas são verdadeiras, mas vou usar um termo simples: PROGRAMAÇÃO!

Tal como um computador, o hardware (nosso cérebro) recebe um sistema operacional, o verdadeiro responsável por controlar o funcionamento de toda a máquina, e SOBRE o sistema todo o restante se desenrola. Sabe quando você está usando seu editor de texto e clica no botãozinho “abrir…”? Na verdade, quem “abre” algo é uma sub-rotina do sistema operacional, que funciona por baixo do editor. Mas existem momentos em que vc clica no “abrir” e vê a famosa tela azul que põe tudo a perder… lá se foi o texto!

Vamos trazer isso nos moldes humanos: nosso cérebro (hardware) funciona baseado num sistema operacional pouco conhecido – nosso subconsciente. É nesta área de nossa psique que estão gravadas nossas rotinas, as famigeradas crenças.

Nossos desejos, vontades e aspirações são criados pelo nosso lado consciente, e estudos mostram que utilizamos este lado durante apenas 5% do tempo – durante o restante, funcionamos no piloto automático (o subconsciente).

Conclusão: nosso subconsciente, além de ser bem maior, é quem realmente comanda nossas vidas!

Quem decide “o quê” armazenar é o consciente; o subconsciente é apenas um gravador e repete aquilo que foi programado para fazer, não importa se certo ou errado.

Agora chegamos ao ponto:

  • esta gravação – AS CRENÇAS – são nossas sub-rotinas aprendidas com o tempo e as experiências do mundo;
  • esta parte do programa adquirimos de outras pessoas, desde que estávamos no útero de nossas mães e seguimos com professores, religião, mídia (CUIDADO COM O QUE ASSISTE!)…
  • São nossas crenças quem determinam nosso comportamento no mundo, nossa forma de interagirmos, nossos rumos, aquilo que vemos como certo ou errado. Antes de tomarmos qualquer atitude em nossas vidas, consultamos nossas crenças – SEMPRE.
  • Como identificá-las? Comece a ouvir seu diálogo interior, aquela “voz” que fala em sua mente o tempo inteiro e você terá uma referência.

Quando vamos iniciar algo – um regime por exemplo – e desistimos no meio do percurso, significa que acionamos um comando interno que gera… tela azul! E já era o regime… Não posso, não devo, não consigo, não mereço, não sei… são as frases mais comuns. Outras vezes nos causam preguiça, mal estar, esquecimento… até uma doença!

Existem crenças edificantes, que nos impulsionam; existem crenças que MATAM!

Algumas delas:

  • minha saúde está nas mãos do médico, não posso fazer nada!
  • sou vítima da minha genética, meus pais eram assim!
  • Câncer é normal, todo mundo vai ter um dia…

Estudos modernos já demonstraram que uma criança que foi adotada por uma família com propensão genética de desenvolver um câncer, por exemplo, tem a mesma tendência de desenvolver a doença quanto um filho biológico. Ou seja, é o meio em que nos encontramos e nossa interação com ele quem determina nossa saúde. A genética é apenas filha de nossos próprios pensamentos!

Percebe como nossas crenças muitas vezes nos sabotam? Nos limitam? Impedem nosso avanço?

Ao observar e questionar nossas crenças, iniciamos o processo de questionamentos sobre quem nós realmente somos!

Mas nem tudo são notícias ruins! Felizmente, existem excelentes ferramentas para remoção de crenças negativas e implantação de crenças edificantes, estando a EFT entre elas! É possível reprogramarmos nosso subconsciente e, em conseqüência, mudarmos completamente nossa interação com o mundo. Faça o teste:

“Embora eu acredite que minha saúde depende única e exclusivamente do meu médico, eu me aceito profunda e completamente…

Mesmo acreditando que meu médico é o único responsável pela minha saúde, e assumindo com isso uma postura de vítima, eu me aceito profunda e completamente…

Mesmo que eu acredite que dependo de remédios e medicamentos externos para ser saudável, eu me aceito e escolho colocar minha saúde em minhas mãos…

Primeira rodada (em todos os pontos): minha saúde depende do médico

Segunda rodada: sou vítima do sistema médico e acredito nele

Terceira rodada: acredito unicamente em remédios

Quarta rodada (ou quando a crença já tiver sido reduzida):  eu aceito ser responsável pela minha saúde / eu escolho colocar minha saúde em minhas mãos…

Abaixo, um link com um vídeo excelente “A Matrix Viva”

E a propósito: “EFT é um processo simples e poderoso que pode influenciar profundamente a atividade genética, saúde e comportamento.” – Bruce Lipton

Bom proveito!

Siga-me!

Rafael Zen

Eu sou fascinado pelos mistérios e conexões entre o corpo, a mente e a consciência. E o que poderia existir de mais transformador do que o conhecimento de si mesmo?
Siga-me!

Últimos posts por Rafael Zen (exibir todos)

Comente! Sua opinião é importante pra nós!