A caixinha de fazer doidos

E pensar que ela faz parte dos lares de todas as classes, é desejo de consumo, todos querem ter a melhor, e mesmo depois de ler este texto, muitas pessoas ainda vão relutar em se desfazer do seu brinquedo: a televisão.

Mas calma aí, antes que você interrompa sua leitura imediatamente pra proteger – e justificar – a continuidade de seus padrões negativos, deixe-me ao menos explicar a parte científica da brincadeira – depois disso, você decide, mas não pode dizer que não sabia!

Vamos lá, uma breve introdução ao funcionamento do corpo humano: nosso coração bate em média 60 vezes por minuto. Esta frequência se altera em função de esforço físico ou estado emocional: quanto mais tensos ou nervosos, mais rápido se torna sua pulsação. Quanto mais relaxamos, mais lento nosso batimento cardíaco. Estudos mostram que no momento em que entramos em sono profundo os batimentos podem chegar a 40bpm.

Assim como o coração, nosso cérebro também pulsa, porém sua frequência é medida em Hertz (ou ciclos por segundo) e pôde ser conhecida à partir do desenvolvimento do eletroencefalograma nos anos 70. Frequências cerebrais possuem valores e nomenclatura distintos em função de sua velocidade:

  • Beta – acima de 14Hz – é conhecida como frequência desperta. Nosso cérebro vibra nesta faixa quando estamos acordados, no transito, no trabalho, nas atividades diárias. Quanto mais tensão ou stress, mais elevadas ficam estas ondas. Um ataque de raiva pode elevá-la facilmente a 40Hz. Se você for bem atento, faça uma comparação entre frequências elevadas e qualquer aparelho eletro-mecânico de sua casa e irá perceber que alta rotação costuma ser sinônimo de problemas!
  • Alfa – entre 7 e 14Hz – é a frequência do relaxamento, do sono leve, do início dos sonhos. É quando não estamos completamente enraizados neste mundo. Quando dirigimos e “sonhamos acordados” estamos em alfa. Esta faixa de onda pode acontecer espontaneamente durante o dia em momentos de tranquilidade. Esta é a faixa dos estados hipnóticos, é a partir desta faixa de frequência que podemos realizar programações mentais.
  • Theta – entre 4 e 7Hz – é o estado de sonho profundo, é onde a recuperação das energias acontece. Em geral é um estado de profunda inconsciência, barreira esta que é quebrada por meditadores experientes. É o estado ideal para visualização e cura do corpo.
  • Delta – entre 0,5 e 4Hz – em geral, é acessada por apenas 4 minutos durante uma noite inteira de sono.

Uma pergunta antes de continuar: qual é a atividade preferida da população ocidental, assim que chega em casa depois de um dia de trabalho? Se você disse “assistir televisão”, acertou!

A TV tem dois fortes apelos: primeiro, é a forma mais rápida de se fugir de si próprio. Independente “do quê” você assistir, a possibilidade de que o programa faça parte do seu contexto de vida é praticamente nulo. Neste momento, nos esquecemos de nossas próprias vidas e problemas e entramos – literalmente – num contexto de sonho. É como uma droga, onde a pessoa viaja por outros mundos completamente alheios aos seus…

E segundo: as fortes emoções. Sem elas, quem se interessaria pela TV? Filmes, novelas ou noticiários, todos são baseados no apelo emocional. O drama, adrenalina ou comoção são o prato principal deste programa indigesto – inclusive desenhos animados ou as inocentes novelinhas infantis.

Agora vem o pulo do gato: lembra quando eu disse que as pessoas sonham na frente da TV? Não é força de expressão – este aparelho tem a capacidade de reduzir nossas ondas cerebrais com facilidade até o estado de alfa – o estado perfeito para programações mentais.

Você acha que é uma coincidência que modismos de TV sejam assimilados com tanta facilidade no dia-a-dia de seus assistentes? Ou que a agressividade gratuita e a sexualidade exacerbada aumentam na medida em que a televisão transmite a falsa idéia de que estas são atitudes normais? E mais ainda, qual o motivo pelo qual a mídia paga valores exorbitantes com propaganda? É precisamente neste momento de relaxamento físico e mental que baixamos involuntariamente (ou maldosamente) nossa guarda juntamente com nossas ondas cerebrais, nos tornando passivos de recebermos sugestões que de outras maneiras não iríamos aceitar. E não bastasse tudo isso, temos ainda o fenômeno da repetição. “Repita uma mentira até a saciedade e verá que ela se torna uma verdade” – era o lema máximo da propaganda nazista.

Vamos analisar mais um pouco: o grande atrativo da TV costuma ser as emoções (lembre-se sempre: somos seres emocionais, é com esta base que tomamos nossas decisões). Emoção é energia pura, é o que “cola” a mente com a matéria. Quanto mais fortes sejam estas emoções, como finais de partidas de futebol, mais fácil direcionar nossa mente, mais fácil nos vender uma idéia. Já se deu conta de que a propaganda é rápida nestes momentos? Que muitas vezes basta uma voz e o logotipo do produto? Assim mantemos o pico emocional…

Também podemos chamar este método de Lavagem Cerebral em massa…

Não bastasse isso, o modo como os programas são feitos, à partir de quadros, ângulos e perspectivas visuais muito rápidos, é exatamente o oposto do que vemos em nossas vidas comuns. Isso fraciona o funcionamento da mente, dificulta a concentração e o foco.

Existem mães que criam seus filhos com TV – “acalma os pequenos”, elas dizem. Na verdade, dopa. Torna-se um vício difícil de ser eliminado, porque é justamente até os 6 anos que aprendemos nossos hábitos inconscientes mais enraizados.

Os norte-americanos, com 1/3 da população obesa, é também o que gasta mais tempo com TV. As crianças aprendem desde cedo a reconhecer o palhaço do Mac Donalds antes mesmo de identificar personagens históricos como Jesus (vide o filme SuperSizeMe).

Comida, consumo, modismo, violência, drama… tem pra todos os gostos. A mente humana é muito fácil de ser manipulada. E olha que falei da TV porque é a mais intensa, mas a internet, revistas e rádios também tem sua parte do estrago.

Mas agora vem o pior: se ao tomar conhecimento destas informações seus hábitos continuarem os mesmos, então não perca o próximo artigo: “o prazer mórbido do sofrimento” pra entender porque continuamos fazendo escolhas erradas, mesmo sabendo aonde elas vão nos levar…

E já que falamos em programação mental e visualização criativa, vou ministrar um curso online sobre o tema no próximo mês. Se existem maneiras pouco éticas de fazer uso deste método, pode ter certeza de que ele pode ser bastante construtivo também!

Siga-me!

Rafael Zen

Eu sou fascinado pelos mistérios e conexões entre o corpo, a mente e a consciência. E o que poderia existir de mais transformador do que o conhecimento de si mesmo?
Siga-me!

Últimos posts por Rafael Zen (exibir todos)

5 thoughts on “A caixinha de fazer doidos

  1. Bom dia, Rafael.

    Não é à toa que dou, muita importância ao seu trabalho, já participei, de umas sessões de Coaching e PNL e muito tem me interessado o autoconhecimento, embora, reconheça, que tem sido bastante difícil deixar minha zona de conforto. sou ansiosa e muito ansiosa e vivo sempre à frente do tempo , que como consequência nos desgasta demais. medito, ouço músicas relaxantes, visualizo o que desejo pra minha vida de modo positivo, mas minhas forças limitantes, estão muito enraizadas eu diria. já tinha ouvido falar no efeito danoso da tv . sinceramente, não sou muito chegada a tv são raros os momentos que eu vejo e acho muito bobageira. mas foi ótimo seu artigo para eu me policiar mais ainda e com isso, priorizar meus momento de meditação sim, recolhido no meu cantinho preferido, calmo e relaxante. me mande mais ok? adoro seu trabalho. parabéns.
    Neide!
    Gostaria muito de participar desse curso on line.

  2. Já passei uns dias sem a tv ligada, os dias que acaba energia elétrica :-/
    Devo admitir que é tediante mas e idéia de viver grudado na tv como se estivesse usando uma droga pra esquecer de quanto não gosto da minha vida me assusta e me envergonha, é uma realidade terrivel. Um padrão desde minha infância não sei se vou conseguir me livrar =[

  3. Mais um texto muito esclarecedor seu.

    Aguardo ansiosa o próximo artigo, sobre o prazer mórbido do sofrimento.

    Rafael, eu gostaria de saber mais sobre esse curso de programação mental. Poderá ser adquirido pra download também?

    Luz e Paz!

Comente! Sua opinião é importante pra nós!